Voltar

Cosenzapunk 2035

22/08/2020

Caralho, eu imagino o Cosenza com 30 anos, desempregado e com depressão, tragando um cigarro, quando vê um popup no seu PlayStation 6, com integração à nova rede social Socialize, a qual está agitada falando sobre um jogo.

Seu quarto estava escuro, mal organizado, seus lençóis largados, e garrafas de bebida vazias no chão.

Cosenza, não tinha animo para mais nada, desde que seu último cachorro, Abreu, morreu, algumas semanas atrás. Seus pais abandonaram para viver na sorte, e ele estava sozinho e sem dinheiro. Seus antigos amigos, já não falavam com ele há anos. Murilo... "Não", pensou cosenza, "Eu prometi à mim mesmo que ia esquecer o que fiz com ele".

Cansado de tudo aquilo, Cosenza dá uma última tragada em seu cigarro e decide ir dormir, na esperança do RH da empresa contratar ele. Desliga seu PS6, e se embrulha em seu lençol rasgado. A luz da lua iluminava levemente o quarto, pequeno, escuro, e sujo. Eram 3 horas da manhã.

Cosenza acordou com uma luz ofuscante diretamente em seu olho. Espreguiçou, e arrastou-se da cama, bagunçada. Alguns pássaros, parados em sua janela, observavam ele. A luz do dia eram reconfortantes, mas nada disso melhorava seu dia.

Sem tomar café, nem escovar seu dentes, Cosenza ligou seu PlayStation 6. Já não jogava mais jogos há alguns meses. Isso fazia lembrar de sua infância, feliz, mas que o pequeno Cosenza não percebeu. Lembrar de sua feliz infância, só deixava ele mais triste e melancólico. Decidiu simplesmente ficar vendo os posts do Socialize por horas, mais uma vez.

Após alguns minutos, após ver seu milésimo meme repetido da moda do momento, Cosenza vê de relance "TES 6", enquanto rolava seu feed, cheio de notícias a morte do Sílvio Santos. Ele para, e volta para o post.

Cosenza lê, "The Elder Scrolls 6". Havia anos que ele não via esse nome. Havia tanto tempo, que até tinha esquecido de suas centenas de horas jogando TES 5.

Imediatamente, Cosenza muda de sua posição em seu velho sofá, para ler mais atentamente o título da matéria.

Cosenza, pela primeira vez em meses, ou anos, estava feliz. Genuinamente feliz. Ele estava animado. "Finalmente lançaram TES 6?", pensou Cosenza.

Ao clicar no link, que tinha um título pouco informativo (Novas notícias sobre TES 6!), foi redirecionado para a página. Ele leu:

Novas notícias sobre TES 6!
Após entrevistas, Todd Howard relevou sobre The Elder Scrolls, um dos jogos mais aguardados pelos internautas. Confira na íntegra a entrevista:
Repórter: Então, Todd, após seus sucessos de vendas como seu antigo Starfield, o que tem a dizer sobre outro antigo sucesso da franquia, Skyrim, e seu sucessor?
Todd: Infelizmente, por razões finaceiras, principalmente após a crise de 2032, a Bethesda não terá condições de financiar um projeto dessa escala. É a melhor escolha para o momento. Os fãs já esqueceram do jogo. Tudo que é bom dura pouco, gostei muito de trabalhar no projeto, mas é oficial: vamos cancelar The Elder Scrolls 6.

Cosenza não acreditava no que leu. Leu e re-leu, mas a verdade apenas doia mais ainda. Seu jogo mais esperado, que amava, estava encerrado. Não havis volta. A comunidade era muito fraca para fazer uma sequel fã-made.

Cosenza ficou parado por alguns segundos. O silencio do quarto era esmagador. Sua visão começou a ficar turva, lágrimas escorriam. Cosenza não aguentava mais.

O que ele havia feito de errado para merecer tudo aquilo? Já não bastava estar sozinho, desempregado, depressivo, ainda tinha que levar um soco no estômago desses?

Cosenza não aguentava mais. Acendeu um cigarro com seu isqueiro, que mal funcionava e começou a fumar.
Andou até a gaveta de sua estante, e procurou sua arma. Ele mentia para si mesmo que era para se proteger.

Cosenza não aguentava mais. Começou a lembrar de sua vida ruindo.
Sua infância feliz, rindo com seus amigos e web-amigos.
18 anos. Não havia decidido no que fazer da vida, pois sempre deixou tudo para depois. Seus erros do passado estavam cobrando.
22 anos. Vários de seus amigos, "UCB"? Cosenza não lembrava o nome. Eles estavam em uma festinha, convidados por Luiz, e outro cara ficou louco e baleou eles na sua frente. Cosenza foi o único que sobreviveu.
23 anos... "Sou um covarde", pensou Cosenza ao lembrar de Murilo.
26 anos, seus pais o expulsaram de casa, dizendo para ele arrumar uma vida, e que não iam sustentar um vagabundo.
28 anos, Seedorf morreu.
30 anos, foi a vez de Abreu, e agora minha.

Engatilhou sua arma, olhou para sua janela. Os pássaros ainda estavam lá.
Houve um clarão, seguido de um estouro, e silencio novamente.

Os pássaros voaram.